Brasileirão Série A

São Paulo sai perdendo por dois gols, mas busca empate com a Chape

O torcedor do São Paulo chegou ao Pacaembu sonhando com uma classificação para a Copa Libertadores, e ao menos pôde ver uma reação digna de um time que briga pela classificação ao torneio sul-americano. Após sair perdendo por dois gols, com uma assistência e um tento de Reinaldo, ex-jogador do clube, o Tricolor reagiu e empatou a partida com gols de Gilberto e Arboleda.

A Chapecoense começou melhor a partida, abafando a saída de bola do São Paulo e sem deixar os mandantes jogarem Assim, criou sua primeira oportunidade logo aos quatro minutos. Um erro de Jandrei logo em seguida, porém, mudou o ritmo da partida, e o Tricolor quase marcou com Petros, que interceptou chute do goleiro alviverde.

O lance desestabilizou a defesa da Chape e o São Paulo tomou conta do jogo, mas não conseguiu aproveitar. Lucas Prato esteve completamente sumido na etapa inicial, enquanto Marcos Guilherme se mostrou participativo, mas perdeu duas chances claras de abrir o marcador. Na primeira, aos 10, a zaga adversária o deixou livre em cobrança de falta de Hernanes, mas o atacante errou o domínio. A falha se repetiu seis minutos depois, após cruzamento de Araruna, em que o camisa 23 perdeu tempo para finalizar e foi bloqueado.

A Chapecoense, mesmo acuada em campo, conseguiu abrir o placar com 26 jogados. Reinaldo fez um lindo cruzamento da esquerda, Sidão não saiu do gol para cortar, a bola veio muito forte e Wellington Paulista apenas a deixou bater em sua cabeça e saiu para comemorar.

Com o tento, o Verdão do Oeste se fechou ainda mais em seu campo. No Tricolor, entretanto, Arboleda e Rodrigo Caio eram os atletas que mais participavam da partida, uma vez que Araruna, Petros, Shaylon e Jucilei recuavam todas as bolas para a dupla de zaga em caso de marcação do time adversário. Coube a Hernanes, portanto, chamar a responsabilidade, e o craque até tentou três finalizações com perigo, mas todas foram para fora.

No intervalo, Dorival Júnior sacou Araruna da equipe para a entrada de Lucas Fernandes. Assim, Petros virou o lateral-direito da equipe, Hernanes foi recuado para volante e o São Paulo se tornou mais ofensivo. No embalo da torcida, o Tricolor voltou melhor para a etapa final e pressionou muito a Chape nos primeiros minutos. O Verdão do Oeste chegou a ter seis jogadores dentro da área em um ataque dos mandantes, e apenas Wellington Paulista à frente.

Aos seis, no primeiro lance de perigo de Lucas Pratto na partida, o argentino fez belo pivô para Marcos Guilherme, que invadiu a área, chutou desequilibrado e perdeu a chance. A ofensividade e ousadia são-paulina, porém, custou caro. Com 13 jogados, a Chape puxou contra-ataque rápido, Arthur tocou para Apodi, que foi derrubado por Marcos Guilherme dentro da área e a arbitragem anotou o pênalti. Na cobrança, Reinaldo, muito vaiado, chutou firme no canto direito e fez o segundo.

Perdendo por dois tentos de diferença, Dorival Júnior optou por abrir ainda mais sua equipe, sacou Petros e Shaylon para as entradas de Maicosuel e Gilberto. As mudanças surtiram efeito quase imediato e, aos 26 minutos, o centroavante diminuiu. Pratto, que passou a sair mais da área, cruzou, a bola desviou e ficou para Jandrei agarrar no alto. O goleiro segurou, mas deixou ela escapar e o camisa 17, com oportunismo, mandou para as redes.

A Chape se descontrolou com o gol sofrido e o São Paulo cresceu na partida. Em cobrança de escanteio de Lucas Fernandes, aos 37 minutos, Arboleda subiu mais que a zaga e cabeceou no ângulo de Jandrei, que não alcançou. Com o empate, a torcida tricolor explodiu no Pacaembu, mas a pressão dos mandantes não foi suficiente para conquistar a virada.

Com o resultado, o São Paulo foi a 44 pontos na tabela de classificação do Campeonato Brasileiro e é o 11º colocado. Um triunfo nesta quinta-feira seria fundamental para o Tricolor, que alcançaria a pontuação considerada segura para se garantir na Série A em 2018.

Além disso, o empate ainda impediu o clube do Morumbi de alcançar a melhor campanha do returno no torneio nacional e sua quarta vitória consecutiva, marca que só foi obtida em março de 2015. Pelo Brasileirão, o feito não é alcançado desde 2014. Na próxima rodada, o Soberano visita o Vasco em São Januário, domingo, às 17h (de Brasília).

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O