Brasil

Relógios deverão ser atrasados em um segundo nesta terça; entenda o motivo

relogios-deverao-ser-atrasados-em-um-segundo-nesta-terca.png.280x200_q85_cropNa terça-feira (30) todos os relógios do mundo devem ser atrasados. Precisamente, em um segundo. Entenda o motivo.

Máquinas no Observatório Nacional, no Rio de Janeiro, controlam a hora certa do Brasil. E um homem é o guardião do tempo. É ele quem vai ajustar o relógio oficial na próxima terça-feira (30).

“Para que o tempo fique próximo da rotação da Terra, a gente tem que acrescentar na próxima terça-feira (30) um segundo”, conta Ricardo José de Carvalho, chefe da divisão de Serviço da Hora.

Na próxima terça-feira, os relógios daqui vão bater 20 horas, 59 minutos e 59 segundos duas vezes antes de virar para 21 horas.

Segundo extra para compensar diferença

Um segundo extra para compensar uma diferença quase imperceptível. É que a Terra não dá uma volta completa em 24 horas exatas. Quando essa diferença chega perto de um segundo, os relógios precisam ser ajustados.

“O primeiro começou em 1972. De ajuste foram um total, não contando terça feira, 26 segundos”, diz Ricardo José de Carvalho.

Você pode achar que um segundo não faz muita diferença. Mas faz. Na bolsa de valores. “Um click ou um ‘enter’ pode valer muito dinheiro. Na verdade, em um segundo, você pode perder ou lucrar milhões”, afirma Gilberto Braga, economista.

Para quem tem algumas horas de vida

No esporte, então.

“Um segundo pode ser a diferença entre uma medalha de ouro e uma medalha de prata. Um recorde a ser batido em um atletismo, na natação, e até você subir no pódio em uma corrida de Fórmula 1. Então um segundo é muito tempo”, diz Hortência, ex-jogadora de basquete.

E o primeiro segundo d Manoela que acabou de chegar. “Parece que para o tempo. Esse um segundo parece que não passa. Você congela olhando aquele rostinho, se foi o que você imaginou, se não foi, se está bem. Naquele um segundo de tanta informação e de conhecimento, que ali é o nosso primeiro contato”, conta Cristiane Machado, mãe da Manoela.

“A gente avalia bem o tempo quando a gente está apaixonado. Por exemplo, para alguém apaixonado, até que a pessoas eu ela ama chegue, demora demais. Mas quando ela está junto o tempo passa em uma velocidade incrível. Essa é uma percepção muito forte”, explica o filósofo Mário Sérgio Cortella.

Em um segundo, dá até para fazer um filme. Como um vídeo que a mãe gravou segundo por dia do primeiro ano do bebê.

“É uma coisa que é forte: o tempo é devorador dos seus filhos, que somos nós. O tempo é um grande mestre, mas que devora os seus alunos”, afirma o filósofo Mário Sérgio Cortella.

Redação com ClickPB

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O