Brasileirão Série A

Presidente do Palmeiras explica demissão de Roger Machado

O presidente do Palmeiras, Maurício Galiotte, falou sobre a decisão de demitir o técnico Roger Machado na tarde desta quinta-feira, quando a delegação alviverde retornou para a cidade de São Paulo, um dia após a derrota para o Fluminense, no Rio de Janeiro.

No aeroporto de Congonhas, o dirigente explicou os motivos que o fizeram optar pela troca de comando no clube. O perfil do novo treinador do Verdão também foi assunto, e a promessa é de que a definição será rápida.

Maurício Galiotte deu entrevista nesta quinta-feira, no aeroporto de Congonhas (Foto: Felipe Cury)

Maurício Galiotte deu entrevista nesta quinta-feira, no aeroporto de Congonhas (Foto: Felipe Cury)

– Não mudamos de treinador por causa de um resultado. Fato é que a gente, nos últimos jogos, notou que o Palmeiras caiu de rendimento. Por esse motivo é que a gente decidiu pela alteração do comando técnico. Usamos a parada da Copa para mudar aquilo que a gente já vinha observando. Antes da parada da Copa tinha queda de rendimento. Usamos esser período para tentar reverter. Não conseguimos (mudar), fizemos a mudança – disse Galiotte.

– Estamos definindo ainda hoje (perfil do novo treinador), vamos em breve passar para vocês o que a gente pensa, qual é a nossa ideia. Em breve isso será definido – completou, antes de falar que não há uma definição sobre o assunto.

A última vez que o Palmeiras manteve um único treinador por uma temporada completa foi em 2013, quando Gilson Kleina conquistou o Campeonato Brasileiro da Série B. De lá para cá, passaram pelo clube Oswaldo de Oliveira, Marcelo Oliveira, Cuca, Eduardo Baptista, Alberto Valentim e Roger Machado.

“Sobre mudar treinador, obviamente que essa não é a filosofia que a gente quer (demitir treinador), mas se for necessário temos de fazer – explicou.

O Palmeiras trabalha com a ideia de ter no comando a partir de agora um treinador experiente. Abel Braga não tem a intenção de voltar a trabalhar em 2018, e nomes como Luiz Felipe Scolari e Vanderlei Luxemburgo são os nomes mais fortes, enquanto Dorival Júnior corre por fora.

Em entrevista para a TV Bandeirantes nesta quinta-feira, Luxa afirmou que não foi procurado pela diretoria alviverde até o momento. Felipão está em Lisboa e, depois de recusar uma oferta da seleção do Egito, ainda analisa uma proposta da seleção da Coreia do Sul.

G1

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O