Política

Pedro Cunha Lima rechaça resultado da votação que livrou Temer e defende reformulação no PSDB

O deputado federal Pedro Cunha Lima (PSDB) criticou a decisão do Plenário da Câmara Federal que decidiu livrar o presidente Michel Temer de investigação por crime de corrupção passiva. Para o tucano, essa é uma decisão difícil de ser justificada e deve provocar um cenário político ainda mais conturbado nos próximos dias.

“O que as pessoas querem é justamente que se investiguem a tudo e a todos. Você não conseguem explicar a ninguém hoje em dia que o presidente está acima da lei. Então a sociedade tinha o direito de saber se o presidente cometeu ou não o crime. Se há indícios? Claro que há indícios, todos viram nos jornais. O que se tava exigindo era prova cabal para se iniciar uma investigação. É constrangedor, um resultado vergonhoso”

Em entrevista concedida antes da reportagem da Folha, que mostrou retaliações do governo com paraibanos que votaram contra Temer, Pedro disse não temer represálias. “Não sou avaliado por ministro ou por presidente. Sou avaliado pelo cidadão paraibano, represento o povo da Paraíba. O legislativo serve para fiscalizar o executivo. Se for temer que aquele que você deve fiscalizar lhe represar, tem algo mal colocado, é uma engenharia que não foi feita para ser assim”, disse.

Para o tucano, o PSDB – cuja votação foi praticamente empatada (21 x 22) – precisa se reformular. “Não só o PSDB, mas o panorama partidário no Brasil inteiro é extremamente difícil, as pessoas rejeitam todos os partidos. Não de hoje, mas manifestações de dois anos já rejeitavam vários partidos. Então esse é mais um episódo que mostra a necessidade do PSDB se reformular, se refundar, para tentar se aproximar, minimamente, do que a população exige hoje”, concluiu.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O