Operação Calvário

O risco Coriolando Coutinho

De acordo com uma publicação do site O Antagonista, desta quarta-feira (12), o desembargador Ricardo Vital de Almeida, relator da operação Calvário do Tribunal de Justiça da Paraíba, teria alertado o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, sobre o risco de conceder liberdade ao irmão do ex-governador Ricardo Coutinho, Coriolano Coutinho.

Segundo a matéria, em ofício encaminhado ao habeas corpus de Coriolano no STF, o magistrado diz que, além de responsável pela coleta de propinas, ele também tem poder de intimidar testemunhas com dossiês ou mesmo atos de violência, “pelo domínio que exerce sobre as forças policiais”.

Confira na íntegra

O desembargador da Paraíba Ricardo Vital de Almeida, que prendeu Coriolano Coutinho no ano passado, enviou a Gilmar Mendes um alerta sobre o risco de soltar o irmão do ex-governador Ricardo Coutinho, apontado como chefe do esquema que desviou R$ 134 milhões do estado.

Em ofício encaminhado ao habeas corpus de “Cori” no STF, o magistrado diz que, além de responsável pela coleta de propinas, ele também tem poder de intimidar testemunhas com dossiês ou mesmo atos de violência, “pelo domínio que exerce sobre as forças policiais”.

Não bastasse, Coriolano regeria um “ecossistema de laranjas” para ocultar a origem dos bens e valores desviados no esquema de corrupção.

“Existe risco concreto de o investigado interferir nas investigações, mediante contato ou ameaças a pessoas, testemunhas e investigados, inclusive ocultando ou fazendo ocultar elementos de prova importantes à elucidação dos fatos investigados na Operação Calvário”.

Além de habeas corpus de Coriolano, cabe a Gilmar Mendes decidir sobre pedidos de liberdade de outros oito investigados no escândalo.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O