Flamengo

O relógio não está a favor de Dorival Junior

O relógio não está a favor de Dorival Junior. Ele realizou o primeiro treino nesta segunda-feira e terá apenas 11 jogos até o fim do ano. Até o próximo, diante do Corinthians, serão somente mais três dias de trabalho. Muito pouco para conseguir, de fato, impor seu estilo ao time. Mas o treinador chegou com pressa. E parece estar decidido a mergulhar no Flamengo.

Dorival Junior foi apresentado ao elenco um pouco antes do almoço de sábado, em um hotel de Salvador, horas antes da partida contra o Bahia. Ele comandou a equipe no empate sem gol, mas seu trabalho de dia a dia começou, de fato, nesta segunda. Chegou cedo ao Ninho, teve algumas reuniões, conheceu as novas instalações do CT, bem diferentes de quando saiu em 2013. Por ora, ficará hospedado em um hotel, uma vez que seu contrato termina em dezembro.

Experiência para cobrar e papo de orelha

Dorival está cuidadoso. Assim como fez em sua entrevista de apresentação, fez questão de elogiar internamente o trabalho realizado por seu antecessor Barbieri. Deixando claro que não pretendia mudar o estilo de jogo de forma radical.

Não se privou, no entanto, de cobrar. Na visão de quem está no clube, é um cara com experiência suficiente para lidar com a atual panela de pressão no Flamengo. Ao contrário de Barbieri que, apesar de muito bem avaliado internamente, vivia a experiência em um grande clube pela primeira vez.

Muita lábia, muito papo, mas Dorival quer ouvir. Tem sido assim nesse início. Não houve ainda uma longa conversa com um atleta específico, mas o novo treinador rubro-negro tem puxado os jogadores e escutado suas preferências. No treino desta segunda, enquanto a imprensa teve acesso, fez isso com Uribe. Depois passou orientações para Berrío e Henrique Dourado.

Em busca da confiança perdida…

Não é de hoje que essa tem sido uma tecla batida no Flamengo. No empate diante do Bahia, sábado, Dorival viu de perto um time abatido após a eliminação para o Corinthians na Copa do Brasil. Por muitas vezes, a equipe muitas vezes parece resignada em campo, sem ânimo. Até por isso incentivo foi a palavra de ordem em seu primeiro treino.

– “Aqui, Marlos. Boa!”, “Valeu, Uribe. É assim”, “Chuta, Dourado. Boa!”

Enérgico, Dorival cobra, mas também incentiva. Deixa claro que é necessária uma mudança de postura no geral. Vai precisar muito de seus atacantes nessa reta final.

Dorival Junior conversa com Henrique Dourado — Foto: Gilvan de Souza

Dorival Junior conversa com Henrique Dourado — Foto: Gilvan de Souza

Pouco tempo e titulares em campo

No treino desta segunda, os titulares participaram da primeira parte da atividade. Rápido treino tático, interrompido constantemente para orientações. Dorival foi didático. Ele mesmo mostrou, girando o corpo de um lado para outro, como quer a marcação de seus volantes.

Inquieto e enérgico são palavras que descrevem bem o primeiro dia de Dorival no Ninho do Urubu. No fim da atividade, quando todos atletas já haviam deixado o campo, ele permaneceu. Mesmo com uma chuva fina, conversou por cerca de 30 minutos com o diretor Carlos Noval e com membros da comissão técnica. Deixou o campo sorrindo e sem pressa. Mas sabe que na verdade não há tempo a perder. (G1)

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O