Notícias

Números preocupantes: Campina Grande registra 72 assaltos a ônibus somente este ano

A estatística do medo. Andar de ônibus está cada vez mais perigoso em Campina Grande. Quem precisa usar o sistema de transporte público para se locomover para o trabalho ou para a escola, sabe que o risco de ser assaltado é iminente. Sem saber, ele pode estar andando com o “inimigo”.

Somente este ano, 72 assaltos foram praticados dentro de ônibus na Rainha da Borborema. Alguns bairros se tornaram “rota do medo”, como é o caso de Bodocongó e José Pinheiro. As rotas 333 e 303 que transportam estudantes para a Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), se tornaram as preferidas dos bandidos. Os assaltantes também têm realizados arrastões sucessivos no ônibus da empresa São José que faz a linha Campina e o distrito de São José da Mata. O circuito interno de TV instalados dentro dos veículos, não tem conseguido inibir os assaltantes.

O último assalto praticado no interior desse tipo de veículo aconteceu ás 17h30 de ontem (23) e teve como alvo, a “linha 303” da Expresso Nacional. O ônibus foi invadido por dois ladrões usando facas. Eles renderam os passageiros e depois praticaram o assalto. Depois fugiram a pé levando celulares, dinheiro das vítimas.

Em entrevista a imprensa, o presidente do Sindicato dos Motoristas de Ônibus de Campina Grande, Antonino Macêdo, disse que não sabe mais o que fazer para diminuir o número de assaltos nos coletivos da cidade. Segundo ele, foram mais de 72 assaltos nos últimos dois meses em Campina Grande. De acordo com dados estatísticos do Sindicato dos Condutores de Veículos Rodoviários e Trabalhadores em Transporte Urbanos de Passageiros (Simcof), o número de 70 boletins registrados em 2013, já ultrapassou os assaltos que ocorreram nos primeiros nove meses de 2014.

No começou da semana os bandidos assaltaram todos os passageiros da “linha 303” da Expresso Nacional, também nas proximidades do Açude de Bodocongó. Um dos passageiros se negou a entregar um celular e acabou ferido com uma facada na mão. Ninguém foi preso.

Os relatos de assaltos a ônibus crescem a cada dia. Recentemente bandidos assaltaram um ônibus que fazia a linha Campina Grande – Puxinanã. Vários objetos pessoais dos passageiros e dinheiro foram roubados.

No bairro do Serrotão, três indivíduos invadiram um ônibus da linha São José e fizeram um “arrastão”.

Próximo à Catedral, no Centro de Campina Grande, por volta das 22h40, três indivíduos invadiram um ônibus coletivo e praticaram assalto. Em todos os assaltos a polícia foi acionada, fez diligências mas ninguém foi preso.

O sistema de transporte de passageiros urbano de Campina Grande faz cerca de 2 mil viagens por dia, transportando cerca de 100 mil pessoas, que se deslocam no sentido bairro centro e vice-versa.

O diretor institucional do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Campina Grande (Sitrans), Anchieta Bernardino, garante que o uso da bilhetagem eletrônica possibilitou uma redução significativa na quantidade de dinheiro circulando nos ônibus e, conseqüentemente, desestimulando a ação dos assaltantes.

Diferente do que acontece em outros municípios e em capitais do país, como anunciado pela mídia nacional, em Campina Grande o número de assaltos a ônibus segundo Anchieta, é insignificante, se considerado a quantidade de viagens que os 200 ônibus da frota fazem diariamente. Segundo Anchieta Bernardino, “estes ônibus geram mais de 1800 viagens por dia, conduzindo cerca de 100 mil passageiros”.

Redação com Pbagora

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O