Injustiça?

Neymar tem desempenho superior a indicados ao prêmio de melhor do mundo

Após cinco anos, o Brasil não tem nenhum representante na lista dos 10 melhores jogadores do mundo da Fifa. Neymar — camisa 10 da Seleção Brasileira e principal craque do país no momento — ficou fora da relação. Porém, nas estatísticas da temporada dos clubes, o atacante do Paris Saint-Germain se destacou mais do que alguns finalistas divulgados pela entidade máxima do futebol.

A Copa do Mundo, claro, teve um peso preponderante na ausência de Neymar. O atacante, além do desempenho abaixo do esperado no torneio, virou chacota internacional por simular faltas. De quebra, o Brasil acabou eliminado nas quartas de final pela Bélgica. Na lista da Fifa, foram priorizados nomes que deixaram melhor impressão na Rússia.

Na temporada 2017/2018, o brasileiro disputou apenas 30 jogos pelo Paris Saint-Germain. O número baixo se deu pela lesão sofrida no quinto metatarso do pé direito, em fevereiro, que deixou o craque longe dos gramados até junho.

Quando esteve em campo, Neymar foi decisivo para o time parisiense. Nas 30 oportunidades, marcou 28 gols e distribuiu 16 assistências para companheiros. Mbappé, por exemplo, jogou mais 16 vezes e fez “apenas” 21 gols, além de 15 toques para gols de outros atletas do PSG.

Juntos, eles foram campeões franceses e das duas Copas nacionais. Pesou para o jovem europeu o desempenho na Copa do Mundo, com o título e com a escolha de melhor jogador jovem do torneio, além da exibição de gala diante da Argentina, nas oitavas de final.

Inconsistência

De acordo com os números na temporada com a equipe francesa, Neymar participou diretamente de 44 gols do time. Além de superar Mbappé, o retrospecto do brasileiro é superior ao de Kevin De Bruyne (33 participações em 52 jogos), Eden Hazard (30/52) e Modric (10/43) e se iguala ao de Griezmann, sendo que o jogador do Atlético de Madri jogou 19 partidas a mais que Neymar.

Apesar de não estar tão cotado como nos últimos anos, Lionel Messi foi quem mais participou de gols pelo seu clube entre os 10 selecionados da Fifa. O argentino esteve diretamente envolvido em 63 tentos anotados pelo Barcelona na temporada, tudo isso nas 54 vezes em que esteve em campo.

Em termos de títulos, também há inconsistência na ausência de Neymar na relação divulgada pela Fifa. Basta notar que Harry Kane não conquistou nada com o Tottenham na temporada. Ele, porém, foi artilheiro da Copa do Mundo, com seis gols. Eden Hazard, caso permaneça no Chelsea, nem sequer participará da próxima Liga dos Campeões, no entanto, colecionou boas atuações na Rússia, levando a Bélgica ao terceiro lugar inédito.

Vencedor da Liga dos Campeões e da Copa no mesmo ano, Raphael Varane aparece como azarão entre os escolhidos. O zagueiro tenta repetir Fabio Cannavaro, em 2006, que conquistou a honraria individual após levantar a taça de campeão do mundo com a Itália.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O