Entretenimento

Lei deve tornar Procissão da Penha Patrimônio Cultural Imaterial

penhaUma lei do vereador Marcos Viniciius (PSDB), que se encontra no gabinete do prefeito Luciano Cartaxo (PT) para ser sancionada, torna a Procissão de Nossa Senhora da Penha um Patrimônio Cultural Imaterial da Cidade de João Pessoa. De acordo com o vereador propositor, a Constituição Federal de 1988 ampliou o conceito de cultura nacional, ao considerar patrimônio cultural brasileiro os bens de natureza imaterial de reconhecida importância para a sociedade brasileira. “Em seu § 1º do art. 215, a Carta Magna determina que o Estado proteja as manifestações das culturas populares, indígenas, afro-brasileiras e de outros grupos participantes do processo civilizatório nacional. Nesse contexto se inclui a Procissão de Nossa Senhora da Penha dos mais antigos eventos católicos oficiais do município.” História A devoção a Nossa Senhora da Penha teve origem com o português Sílvio Siqueira, que em 1763, comandava uma embarcação em direção à Europa. No litoral paraibano ele enfrentou uma grande tormenta. Em um momento de aflição, reuniu a tripulação e pediu proteção a Nossa Senhora da Penha, prometendo erguer uma ermida em sua honra no local em que aportasse em segurança. Minutos depois, todos conseguiram desembarcar com tranquilidade na então Praia de Aratú – hoje Praia da Penha. Como prometido, a construção foi feita. E essa foi à terceira capela construída no Brasil para Nossa Senhora da Penha. A primeira foi erguida em Vila Velha, na então Capitania do Espírito Santo, entre os anos de 1558 e 1570. A segunda foi construída em 1635, pelo capitão Baltazar Abrel Cardoso, na Freguesia de Irajá, no Rio de Janeiro. Atualmente, calcula-se que pelo menos 350 mil romeiros, vindos de todos os cantos, participam da procissão. A Procissão da Penha acontece no último domingo de novembro, com a participação de milhares de religiosos concentrados em vários bairros de João Pessoa, onde acontece o trajeto, à espera da passagem da procissão. Esta, ao passar, vai carregando pessoas que saem acompanhando-a dos seus bairros até a chegada no Santuário da Penha. Na concentração, no centro da capital, em frente à Igreja Nossa Senhora de Lourdes, fica a grande massa: pessoas que chegam desde cedo e se aglomeram a espera da saída, pois é questão de fé fazer todo o itinerário religioso. São 14 quilômetros percorridos por adultos, idosos em grande número e crianças.
 Romeiros de toda Paraíba participam desse evento, sendo que a maioria desloca-se em ônibus fretado, e só retornam aos seus municípios depois da celebração da missa que acontece depois da procissão, na chegada ao Santuário da Penha.
 O Santuário da Penha faz parte do roteiro histórico e turístico do litoral paraibano. Foi tombado pelo Instituto Histórico e Artístico do Estado da Paraíba (Iphaep) em 26 de agosto de 1980. Este santuário é sido muito procurado devido aos milagres atribuídos à Virgem Maria. A Romaria da Penha, uma das mais tradicionais da Paraíba, atrai uma média anual de 250 mil peregrinos. A magnitude, as peculiaridades, a diversidade, o conteúdo religioso e cultural do evento são riquezas únicas cultivadas há mais de dois séculos pelos paraibanos. Por sua beleza e grandiosidade, é também o mais importante evento turístico religioso da Paraíba.

Fonte: WSCOM

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O