Esportes

JEJs são abertos de olho no futuro

jejsEstão abertos os Jogos Escolares da Juventude de 2014. Serão nove dias de competição, intercâmbio entre os atletas, arte, cultura e descobertas dos novos talentos olímpicos do país. A solenidade de abertura aconteceu ontem à noite, em João Pessoa, e contou com a apresentação de um grupo folclórico e a presença de autoridades.

No final do evento, a pira olímpica foi acesa pela judoca Sarah Menezes, que foi medalha de ouro na olimpíada de Londres e já conquistou duas medalhas em edições anteriores dos Jogos Escolares.

A jornalista e apresentadora da Rede Globo Fernanda Gentil comandou a festa, que foi embalada pelo forró, ritmo tradicional da região Nordeste. Enquanto isso, as delegações dos 26 estados e do Distrito Federal desfilaram no palco principal para abrilhantar o evento.

Para Edgar Hubner, diretor geral dos JEJs, a disputa em João Pessoa tem tudo para formar a base do Time Brasil nos Jogos Olímpicos da Juventude de 2018, em Buenos Aires.

“Já foi assim em Nanquim, na China. Daqui a dois anos, muitos desses atletas que vão competir aqui em João Pessoa formarão a delegação brasileira e estarão representando o país na Argentina”, previu.

O hino nacional foi apresentado pelo coral Vozes da Infância, da Secretaria de Educação de João Pessoa, acompanhado pela Banda Municipal 5 de Agosto.

O Grupo Eita Produções Folclóricas participou da festa, mostrando um pouco da cultura regional.

OITO MODALIDADES ABREM DISPUTA

O primeiro dia de disputas dos Jogos Escolares da Juventude terá oito modalidades – todas individuais. O judô e a luta olímpica acontecem no Centro de Convenções; a natação, na Vila Olímpica Ronaldo Marinho; a ginástica rítmica, no Ronaldão; o cliclismo, com a prova na PB-008; o tênis de mesa, no Centro de Ensino da Polícia Militar; e o atletismo, na pista da UFPB.

E justamente o atletismo é uma das modalidades mais democráticas dos JEJs. E, claro, sobram boas histórias.

Os irmãos capixabas Hugo e Thaís Otoni estão juntos em João Pessoa. De família humilde, o pai é pintor e a mãe auxiliar de cozinha, eles fazem parte do projeto Estação Conhecimento, em Serra, na região metropolitana de Vitória, no Espírito Santo. Hugo, de 17 anos, e Thaís de 15, são os atuais recordistas estaduais na prova de 110m e 80m com barreira, respectivamente.

Hugo tinha o sonho de ser jogador de futebol, enquanto Thaís queria ir longe na natação. Mas, por coincidência do destino, a mãe fez a matricula dos filhos no atletismo. E com os resultados surgindo optaram por não trocar mais de esporte.

“Minha mãe inscreveu a gente no atletismo para entrar no projeto e ter a possibilidade de ir para os esportes que queríamos depois. Mas acabei gostando e o meu irmão também. O meu primo também deu incentivo e não saímos mais”, comentou Thaís Otoni.

Para Hugo, o atletismo trouxe benefícios. Conquistar boas notas na escola também foram uma das virtudes. A modalidade tornou o garoto mais disciplinado, o que ajuda a não ficar de fora das competições. Com tanta dedicação, ele faz planos futuros.

“Quero participar de um Mundial, vestir a camisa da seleção brasileira para representar o meu Estado, o meu projeto e o nosso país”, disse Hugo, que é o atual recordista capixaba nos 110m com barreira na categoria menor.

O treinador espera que os irmãos prosperem no esporte.

Principalmente por Hugo e Thaís terem feito o caminho inverso ao optarem pelo atletismo.

“Isso se tornou muito agradável, pois o atletismo é um esporte, que em relação ao futebol, ao vôlei, ainda é um pouco esquecido. E quando vem do contrário isso nos agrada bastante. Sempre que tem uma competição os nossos olhos ficam brilhando bastante”, comentou Felipe Carvalho. (Lucas Barros)

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O