Policial

Em meio a protestos de policiais, Ceará tem 29 mortes em 24 horas

Em meio a protestos de policiais militares por aumento salarial, o estado do Ceará registrou 29 assassinatos em 24 horas entre as 6h de quarta-feira (10) e as 6h de quinta-feira (21), de acordo com informações a Secretaria Estadual de Segurança do Estado.

Representantes do governo do estado estão reunidos desde o início desta manhã com representantes do Exército, que chegaram nesta quinta. A reunião vai definir o planejamento estratégico do trabalho das forças de segurança no controle da crise.

A reunião, que tem a presença de representantes das Forças Armas e membros do Gabinete de Gestão de Assuntos Complexos, do governo do Estado, começou por volta das 7h da manhã desta sexta-feira (21), e tem como objetivo definir contingente das Forças Armadas e em para quais cidades será direcionado. As informações são da repórter Alethea Leitão Morel, da Record TV no Ceará.

As autoridades também começaram a identificar pessoas encapuzadas que tem realizado bloqueios e protestos, furando pneus de veículos de policiais. Há mais de 300 policiais militares sob invetigação.

O estado recebeu 120 agentes da Força Nacional e mais de 200 da Polícia Rodoviária Federal que vieram de outros estados para apoiar a Polícia Civil. Pelotões de outros estados devem ser deslocados para Fortaleza, onde a Polícia do Exército tomava as ruas. No centro da cidade, 35 homens começaram a atuar nesta sexta-feira.

Ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) consideraram a paralisação ilegal e disseram que a Constituição proíbe a sindicalização e a greve de militares.

Baleado com bala de borracha durante um protesto, o senador Cid Gomes (PDT-CE), irmão do ex-presidenciável Ciro Gomes, continua internado em Fortaleza. Ele foi atingido por disparos ao manobrar uma retroescavadeira em direção a agentes de segurança mascarados que bloqueavam a entrada ao batalhão da Polícia Militar do município de Sobral, na tarde de quarta-feira (19), ao tentar invadir um batalhão. Ele deixou a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do Hospital do Coração e está na enfermaria.

O Comando de Policiamento de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (CPRaio) da Polícia Militar do Ceará (PMCE) divulgou uma nota e informou que não aderiu ao que chamaram de “atos de vandalismo e insubordinação por parte de policiais militares”.

Até o momento, quatro policiais militares foram presos, um deles suspeito de queimar veículos de uma moradora do interior do estado. Outra ocorrência também envolveu homens encapuzados que abordaram e roubaram um veículo da Polícia Civil.

Pelo menos cinco quarteis em todo o Estado registraram motins. As cidades de Sobral e Caucaia, na região metropolitana do Ceará, registrados os confrontos mais violentos. (R7)

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O