Esportes

Duelo de gigantes na final da Copa do Brasil

copadobrasil3Classificação de Atlético e Cruzeiro para a final da Copa do Brasil deste ano mostra que o futebol mineiro vive o seu melhor momento. Não só pela campanha das equipes no Campeonato Brasileiro, mas também, pela regularidade que os times vêm demonstrando.

Além de salientar a classificação obtida na Copa do Brasil, destaco o poderio técnico e tático dos adversários que valorizaram ainda mais esse feito inédito dos dois clubes de Minas.

O Flamengo adversário do Atlético na semifinal se tornou uma equipe competitiva, apesar de ter limitações no elenco que apresenta lacunas em algumas posições. Esse é o resultado do trabalho de Vanderlei Luxemburgo que tornou o Mengão capaz de vencer adversários fortes na Copa do Brasil e alavancar a campanha do clube carioca no campeonato Brasileiro, escapando da zona de rebaixamento. Foi uma troca justa, pois o Flamengo precisava de um líder que se identificasse com sua história e Luxemburgo também precisava recuperar seu prestígio.

Acredito que a principal virtude de Vanderlei, nesta passagem pelo Flamengo, foi reconhecer a inferioridade técnica de seu elenco e promover a união do grupo, o que, às vezes, suplanta a diferença de qualidade existente em relação aos adversários. Na derrota contra o Atlético, em minha opinião, houve um erro de planejamento, pois escalar todos os titulares para o Brasileirão provocou desgaste físico no elenco que aliado à falta de sorte causou lesões em Léo Moura e Gabriel que são peças imprescindíveis ao esquema montado por Luxemburgo.

Foram jogos disputadíssimos nesta semifinal. Na Vila Belmiro, o Santos de Enderson Moreira com elenco ainda em formação, baseou o esquema tático na velocidade dos jovens atletas e encarou o fortíssimo Cruzeiro, chegando a obter a vantagem que lhe daria a vaga para final. Mas como a equipe do Cruzeiro não se entregou e foi cirúrgica empatou a partida em 3 a 3 aproveitando um erro do zagueiro Bruno Uvini, do Santos. Assim, o Cruzeiro conquistou a vaga para final da Copa do Brasil, no critério de desempate “gol qualificado”, por ter marcado maior quantidade de gols fora de casa.

Quanto aos vencedores, o Cruzeiro dispensa comentários, mas o Atlético surpreendeu com a mesma aplicação tática, invejável, que jogou contra o Corinthians nas quartas de final. O roteiro foi o mesmo, iniciou o jogo perdendo, foi para cima do adversário e conseguiu reverter a vantagem do Flamengo, fazendo quatro gols.

Essa final da Copa do Brasil não tem favorito, pois além de ser um clássico mineiro, é o confronto de duas grandes equipes que estão em ótima fase. O título para o Cruzeiro será mais um passo para a conquista da segunda “Tríplice Coroa” que é obter os títulos mais importantes do ano. Já foi campeão mineiro, é líder do Brasileirão e tem grandes chances nesta final da Copa do Brasil. Além disso, se tornará o time com mais títulos nessa competição, ultrapassando o Grêmio com quem está empatado com quatro conquistas.

Para o Atlético que tem a fama de obter resultados considerados impossíveis, o que justifica o lema de sua torcida “Eu Acredito”, irá conquistar um título inédito em sua história. Além disso, não quer ficar fora da Libertadores, onde foi campeão em 2013 usando a mística do Estádio Independência com a famosa frase: “Caiu no Horto tá morto”.

Globoesporte

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O