"Isso pode Arnaldo?"

Coaf vê movimentações atípicas de R$ 2,5 mi de David Miranda

Relatório do antigo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) enviado ao Ministério Público do Rio de Janeiro aponta que o deputado federal David Miranda (PSol-RJ) fez “movimentações atípicas” no valor de R$ 2,5 milhões na conta bancária entre 2 de abril de 2018 e 28 de março de 2019. As informações são de O Globo.

O documento foi enviado dois dias depois de o The Intercept Brasil começar a divulgar supostas mensagens trocadas entre procuradores da Lava Jato, como Deltan Dallagnol, e o ex-juiz federal Sergio Moro. David Miranda é casado com o jornalista Glenn Greenwald, diretor do site.

A partir do documento, o MP do Rio abriu uma investigação para apurar as movimentações feitas por Miranda. A 16ª Vara de Fazenda Pública do Rio de Janeiro barrou, nessa terça-feira (10/09/2019), a tentativa do órgão de quebrar o sigilo fiscal e bancário do deputado. Em despacho, o juiz pede que Miranda e outras quatro pessoas sejam ouvidos antes.

Procurado pela reportagem, Miranda afirmou, por meio da assessoria, que o cargo de deputado não é a única fonte de renda e, portanto, “as movimentações são compatíveis com sua renda familiar”. O parlamentar recebe R$ 33,7 mil de salário, de acordo com informações da Câmara.

Miranda afirmou que depósitos fracionados detectados pelo Coaf vêm de uma empresa de turismo da qual é sócio com Glenn Greenwald. O deputado, porém, não informou os serviços prestados pela companhia e disse que os demais esclarecimentos serão prestados no Judiciário.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O