Operação Calvário

A “bacana” Livânia Farias chamou o ex-secretário Ivan Burity de frouxo…

Carros de luxo e terras em outros estados. Durante delação premiada, Ivan Burity revela que ex-secretários passaram a ostentar patrimônio sem nenhuma cerimônia.

Ivan afirma que por diversas vezes se via surpreendido com a ‘coragem’ da ex-secretária Livânia Farias em usar automóveis de luxo enquanto dava expediente na Secretaria de Administração, localizada no Centro Administrativo Estadual, em Jaguaribe, enquanto que o carro oficial cedido pelo Governo para uso dos secretários ficava em casa.

“Eu não sei de patrimônio formado por ela. Ela gostava de ser aquela poderosa, que apontava o dedo ‘você sai, você entra, você fica, você faz’. Então, o recurso que ela dispunha era mais nesse sentido. O que me chocava era chegar lá e encontrar uma BMW no estacionamento da secretaria, por vezes uma Mercedes”, relatou.

Ele ainda afirmou que teria advertido Livânia sobre como esse tipo de comportamento chamaria atenção das pessoas, no que ela rebatia questionando se ele sentia medo.

“Eu ainda cheguei a dizer a ela ‘você não tem televisão em casa, não, Livânia?’. (Ela dizia) ‘não, eu comprei com meu dinheiro’. Aí eu dizia ‘bem, vou dar uma televisão de presente para você, porque a Lava Jato com a mulesta e você deixar o carro oficial em casa, parar no estacionamento da secretaria uma BMW e no outro dia, uma Mercedes, porque ela tinha uma Mercedes e uma BMW, e ela alternava os dias, porque eu ia trabalhar e via. Aí eu dizia ‘vou te dar uma televisão de presente, porque acho que estás assistindo pouco’. Mas, assim, eu não tinha tamanho. Eu só dizia de brincadeira. Depois ela dizia ‘tá ficando frouxo, tá com medo’, aí eu dizia ‘tô!”, narrou.

Livânia foi alvo de mandado de busca e apreensão na segunda fase da Operação Calvário. Ali, no auto circunstanciado, é relatado que foram apreendidos 18 relógios que estavam dentro de um cofre, em seu apartamento. Maioria de luxo, as marcas variavam entre Gucci, Bulova, Movado, Guess, Michael Kors, Fossil, Festina, Skagen, TW Steel, Anne Klein, etc. Na fase seguinte, Livânia foi presa. Após duas semanas, fechou acordo de delação premiada com o Ministério Público.

Gilberto Carneiro – Quanto ao ex-procurador-geral do Estado, Gilberto Carneiro, o delator foi conciso nas informações. “Eu ouvi que tinha terras na Bahia, uma coisa assim, fazenda, alienação de não sei de quê. Eu não vi ele ter esse contato com patrimônio, essa coisa de ter comprado isso ou aquilo. Só se fosse em outro estado. Eu só sei da história jurídica ali, que ele tinha um escritório, mas eu não sei, eu não vou fazer ilações”, declarou.

 

 

com paraibaja

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O