Sua Saúde

5 evidências científicas de que a atividade física é um super “viagra”

Se o que te trouxe a este blog foi a busca por um “remedinho” para melhorar o desempenho sexual, hoje é seu dia sorte! Esse post é justamente o que você procurava.

Anote aí a primeira receita. Já ouviu falar em JUÍZO? Pois comece tomando hoje! Um balde de dois em dois minutos, pelas próximas 20 encarnações. Triplique a dose caso a ideia de comprar estimulantes para dar um “up” numa noite especial qualquer te pareça “brilhante” ou mesmo “inofensiva”.

A boa notícia é que existe sim uma maneira segura, natural, eficaz e com poucas contraindicações de potencializar sua atuação na hora H. A fórmula é bem mais simples do que você imagina. Parodiando a sensata nutricionista Bela Gil, eu diria que:

“Ah, doutor, mas eu vim atrás de um recurso para me dar bem na cama, não de um conselho genérico de mãe”.

Bem, se você duvida dos poderes da atividade física sobre a sexualidade, talvez devesse bater um papo com o ator José Loreto. Em participação recente no programa global Encontro, atração matinal comandada por Fátima Bernardes, o artista fez a seguinte afirmação: “Quando eu estou em um ritmo melhor de comer bem, de treinar, fico mais ‘caliente’ em casa”.

Quem assistir o vídeo que deixei o link verá que, pela reação da esposa do rapaz, presente na ocasião da entrevista, é bem provável que ele esteja falando a verdade.

De todo modo, trouxe aqui cinco evidências científicas que também me levam a crer nisso. Veja só:

Vida ativa = maior libido

A constatação é de um estudo publicado no periódico Medicine & Science in Sports & Exercise. De acordo com a pesquisa, que envolveu 1100 participantes, homens com rotinas de esporte leves ou moderados relataram maior desejo sexua l – o que faz todo o sentido, uma vez que a prática de atividade física estimula a produção de testosterona. Já aqueles que revelaram se exercitar de maneira muito intensa se queixaram de redução da libido. Portanto, para evitar esse e outros problemas, não deixe de buscar a orientação de profissionais da Educação Física e de nutricionista, ok?

Exercícios melhoram do fluxo sanguíneo para a genitália

Sim, isso se traduz em ereções mais satisfatórias e prolongadas. Se você é sedentário, saiba que pode reduzir significativamente o risco de ter uma disfunção erétil gastando pelo menos 200 calorias por dia em atividades físicas (Stanten& Yeager, 2003).

Movimentar-se melhora a qualidade do sexo e até a autoestima

Quem diz são pesquisadores da Universidade de Arkansas, cujos achados estão registrados no Journal of Human Sexuality. A pesquisa teve como objeto de estudo 408 estudantes universitários. Os indivíduos que praticavam atividade física relataram maior grau de satisfação sexual e melhor conceito de autoestima. Ou seja: sentiam-se mais desejados, portanto apresentavam maior confiança no próprio desempenho na cama.

Atividade física com certa intensidade torna sexo mais vigoroso

Um estudo conduzido na Universidade da Califórnia- San Diego investigou os benefícios da corrida para a vida sexual em dois grupos de voluntários. O primeiro grupo era submetido à um programa de corrida em intensidade moderada durante 60 minutos, 4 dias por semana. O segundo grupo fazia caminhada leve percorrendo distâncias mais curtas com a mesma frequência semanal. Os indivíduos do primeiro grupo relataram significativa melhora na qualidade da vida sexual, tanto em relação à libido quanto ao “vigor”, quando comparados participantes do segundo grupo. Outros levantamentos, contudo, já demonstraram melhora da vida sexual como consequência de programas de exercícios mais moderados (como citei logo no início dessa lista).

O sedentarismo é amigo da impotência

A conclusão consta em um artigo publicado no periódico New England Research Institute nos EUA. Os pesquisadores estudaram um grupo de 600 homens de meia idade ao longo de um período de 8 anos. Aqueles que praticavam corrida regularmente não relataram nenhum problema de impotência, enquanto os de vida sedentária apresentaram vários episódios de perda de vigor sexual e disfunção erétil.

Vale lembrar que, do atleta ao sedentário, todo homem deve comunicar qualquer alteração significativa em sua rotina sexual ao médico – de preferência, o urologista.

Até o próximo post!

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais popular

T O P O